Curiosidades - Os covers mais inusitados da história

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Curiosidades - Os covers mais inusitados da história

Mensagem  PapaNJam em Ter Fev 24, 2009 7:56 am

Reza a lenda que, depois que surgiu a primeira banda de rock, imediatamente apareceu uma segunda disposta a tocar covers da anterior. O fato é que, piadas infames à parte, as versões fazem parte constante do mundo da música hoje e sempre. São passagens inevitáveis, tornando-se parte da discografia oficial ou momentos marcantes de shows ao vivo. Mesmo os grandes medalhões não resistem a revisitar seus grandes mestres e influências ao tocar covers de clássicos que mudaram suas vidas – ou, quem sabe, a dar nova cara (e por vezes até conteúdo) a canções de artistas radicalmente diferentes, apenas para provocar e causar borbulhas nas veias dos puristas mais radicais.




--------------------------------------------------------------------------------

A lista abaixo reúne algumas destas "reinterpretações" mais históricas. Algumas são excelentes e conseguem ser até melhores do que as originais. Outras são tenebrosas e ponto final. Umas poucas se classificam como simplesmente satisfatórias, do tipo "tanto faz como tanto fez" (fazendo com que a gente se pergunte: por que diabos eles gravaram isso mesmo?). E, é claro, existem as que são completamente vexaminosas – e é com estas que a gente se diverte horrores.

E sim, a gente tem plena consciência de que vocês vão se lembrar de outras tantas que não estão aqui presentes. E também temos certeza de que vocês podem não concordar com alguns (talvez com todos) os pontos de vista abordados aqui. Paciência. É para isso que existem os comentários. :-)




CHILDREN OF BODOM cantando BRITNEY SPEARS

A música: "Oops! I Did It Again"

O original: No disco "Oops! I Did It Again" (2000)

A regravação: No single de "In Your Face" e na versão japonesa do disco "Are You Dead Yet?" (2005)

O resultado: Nós ficamos imaginando como deve ter sido a reação do empresário da musa teen pop norte-americana ao receber a seguinte notícia: uma obscura banda de metal extremo da Finlândia gostaria de obter os direitos para fazer um cover de "Oops!.I Did It Again". "Além do fato de ser obviamente uma piada, queríamos escolher algo que definitivamente chocasse e surpreendesse as pessoas", afirma o frontman Alex Laiho. Mas ele se diverte ao ver que muitos afirmam ter "perdido o respeito" por eles depois da escolha desta música. "É muito divertido para nós ler este tipo de bobagem. As pessoas levam isso mesmo a sério. Cara, quem são vocês para dizer que eu não faço mais metal?".





GAMMA RAY cantando PET SHOP BOYS

A música: "It's a Sin"

O original: No disco "Actually" (1987)

A regravação: No disco "Power Plant" (1999)

O resultado: Como era de se esperar, os fãs reclamaram horrores. "Mas como assim, fazer um cover dos Pet Shop Boys? Será que o Kai Hansen pirou?". Na verdade, até o hoje o fato é considerado por muitos como uma mancha no passado do grupo alemão, por mostrar a rendição de uma banda de heavy metal a um ícone pop. Sejamos sinceros e sem frescuras: a canção é uma das melhores do disco e não poderia ter ficado mais...heavy metal. Basta comparar as duas canções para perceber o quanto os teclados do duo da loja de animais se tornaram poderosas guitarras gritantes.





SHAKIRA cantando AC/DC

A música: "Back In Black"

O original: No disco "Back in Black" (1980)

A regravação: No disco "Live & Off The Record" (2004)

O resultado: "Back in Black" é a canção-hino do AC-DC, assim como "Satisfaction" é emblemática dos Rolling Stones e "Smoke On The Water" é o clássico absoluto do Deep Purple. "Sou uma fã alucinada do AC/DC. Eu mataria pela música dos anos 80, especialmente AC/DC. Queria fazer o cover desta música e esta foi a oportunidade perfeita para isso ", confessou a própria Shakira, em entrevista ao canal VH1. Mas se ela gostava tanto desta canção, por que diabos acabar com ela deste jeito? Cadê aquele riff inesquecível? "Back in Black" virou uma bizarra baladinha acústica. Menos mal. Pelo menos não foi a Celine Dion (Ou alguém esqueceu de "You Shook Me All Night Long"?).





CAKE cantando GLORIA GAYNOR

A música: "I Will Survive"

O original: No disco "Love Tracks" (1979)

A regravação: No disco "Fashion Nugget" (1996)

O resultado: É simplesmente impressionante ver como uma das bandas mais inclassificáveis e à prova de rótulos do rock alternativo transformou um dos maiores hits gays da disco music em uma melancólica balada meio folk, meio country. Mais do que qualquer faixa listada neste artigo, transformou-se em uma música absolutamente diferente da original.





JOHNNY CASH cantando U2

A música: "One"

O original: No disco "Achtung Baby" (1991)

A regravação: No disco "American III: Solitary Man" (2000)

O resultado: Já sob a ação da idade, o homem de preto Johnny Cash transcende as fronteiras da sua soturna música country e, justamente em seu primeiro disco de estúdio depois do diagnóstico do Mal de Parkinson em 97, resolve fazer uma releitura de "One", dos irlandeses do U2. Justamente uma das canções mais famosas do álbum no qual Bono e sua trupe se reinventaram e começaram explorações eletrônicas e psicodélicas, diretamente inspirados em um certo camaleão britânico. O que aconteceu? Ficou brilhante. Simples assim.





PAULO RICARDO cantando QUEEN

A música: "Love of My Life"

O original: No disco "A Night At The Opera" (1975)

A regravação: No disco "O Amor Me Escolheu" (1999)

O resultado: Embora o El Cid quase tenha enfartado ao ver esta faixa no meio de todas as outras, não dá para negar que o lado "bizarro" desta história é muito evidente - bem mais até do que o "fascinante". Depois de abandonar, pela primeira vez, o posto de frontman do RPM, Paulo Ricardo tentou se transformar em cantor romântico e gravou até música de abertura para novela mexicana do SBT. Quando começou a cantar, ao vivo, "Love Of My Life", logo viria a sua versão em português: "Felicidade". Acompanhe: "Felicidade eu não sei / De você, nem de mim / Deixei que você se fosse / Agora sofro". E ainda teve uma versão espanhol para um tributo latino: "Amor de Mi Vida". Faça o sinal da cruz, por favor.





MEGADETH cantando NANCY SINATRA

A música: "These Boots.Are Made For Walkin'"

O original: No disco "Boots" (1966)

A regravação: No disco "Killing Is My Business...And Business Is Good!" (1985)

O resultado: Quem viu a rebolativa Jessica Simpson cantando a sua versão para "These Boots...", de Nancy Sinatra, na trilha de "Os Gatões", mal podia imaginar que, mais de duas décadas antes, Dave Mustaine cantou a mesma canção no disco de estréia do Megadeth. Na verdade, Mustaine fez muito mais uma paródia do que qualquer outra coisa, com palavrões e afins. Quando o disco começou a vender bem, Lee Hazlewood, compositor original da canção, começou a pedir que ela fosse retirada do disco por se tratar de uma "perversão". Mustaine contra-atacou dizendo que Hazlewood recebeu os direitos autorais pela música muitos anos antes de começar a reclamar. De qualquer forma, "These Boots" acabou sendo omitida, e uma versão censurada da música pode ser encontrada na versão "deluxe" do disco, lançada em 2002.





MARILYN MANSON cantando MADONNA

A música: "Justify My Love"

O original: No disco "Immaculate Collection" (1990)

A regravação: Na fita demo, sem nome, da banda ainda chamada "Marilyn Manson & The Spooky Kids"

O resultado: Veja bem. Manson e seu arquétipo andrógino sempre estiveram ligados ao sexo. Madonna também. Manson adora andar por aí em minúsculas e provocantes roupas de couro. Madonna, pelo menos até algum tempo atrás, também gostava (e, se bobear, os dois usavam rigorosamente AS MESMAS roupas). Dizem as más línguas que Manson faz sexo com qualquer coisa que se mova. E as mesmas línguas diziam o mesmo de Madonna nos anos 80. Pensando bem, Manson e Madonna combinam mais do que parece. Há quem diga até que Manson é uma espécie de "Madonna do inferno". Não poderia ter havido melhor escolha.





DEEP PURPLE cantando IKE & TINA TURNER

A música: "River Deep - Mountain High"

O original: No disco "River Deep - Mountain High" (1966)

A regravação: No disco "The Book of Taliesyn" (1969)

O resultado: Um dos grandes sucessos da black music da época, a romântica "River Deep - Mountain High" ganhou cara nova na interpretação de um Deep Purple ainda em começo de carreira, já com a trinca Ritchie Blackmore, Jon Lord e Ian Paice.- mas sem a voz de Ian Gillan. Na época, o vocalista era Rod Evans, muito mais temperado e tranqüilo e com alcance bem menor do que Paice. O Purple era muito mais progressivo e bem menos hard rock, e a canção (sucesso com as Supremes na década de 70) ganhou respeitáveis 10 minutos de duração. Haja fôlego.





LIMP BIZKIT cantando GEORGE MICHAEL

A música: "Faith"

O original: No disco "Faith" (1987)

A regravação: No disco "Three Dollar Bill, Y'All" (1997)

O resultado: Exatos dez anos depois de George Michael ultrapassar as mais de 10 milhões de cópias vendidas e se tornar o primeiro artista branco a atingir o primeiro lugar nas paradas de R&B, vem um sujeitinho arrogante como Fred Durst, vocalista do Limp Bizkit, e perverte a música inserindo guitarras e dando uma dose de peso que faria os dançarinos que se esbaldavam com "Faith" na década de 80 ficarem de cabelos em pé. E quer saber o pior? Ficou bom. Mesmo. Uma paulada na orelha.





JUDAS PRIEST cantando JOAN BAEZ

A música: "Diamonds and Rust"

O original: No disco "Diamonds & Rust" (1975)

A regravação: No disco "Sin After Sin" (1977)

O resultado: Como ficaria uma baladinha folk, toda bonitinha e simpática, nas mãos de ninguém menos do que os deuses do metal? Fenomenal, a gente responde. Segundo os críticos especializados, uma das melhores escolhas de covers para ser executado por uma banda de heavy metal...e que, diabos, continua sendo tão bonitinha quanto era quando cantada por Joan Baez. A canção coube como uma luva na voz de Rob Halford - e tanto é que se tornou um respeitável sucesso nas paradas inglesas e até hoje faz parte do set-list dos shows da banda.





GUNS 'N' ROSES cantando CHRISTINA AGUILERA

A música: "Beautiful"

A regravação: Somente em recentes apresentações ao vivo.

O resultado: Como se não bastasse o fato de que a trupe de Axl Rose tem um novo disco de estúdio eternamente prometido para o mês que vem, os fãs que ainda se preocupam com o futuro dos Guns 'n' Roses acompanharam as notícias dos shows mais recentes e descobriram que os caras estão cantando um cover para "Beautiful", da musa teen Christina Aguilera. É bem verdade que a canção foi escrita por Linda Perry, ex-frontwoman das 4-Non Blondes. Mas...que medo. No fim das contas, quem pôde conferir percebeu que se trata de uma versão pesada e absolutamente Guns 'n' Roses. Menos mal. Vai que o Axl resolve chamar a Christina para cantar junto?





ANTHRAX cantando THE TEMPTATIONS

A música: "Ball of Confusion"

O original: No single de "Ball of Confusion (That's What the World is Today)" (1970)

A regravação: No disco "Return Of The Killer A's" (1999)

O resultado: Os primeiros são um grupo cantante norte-americano de Detroit cujo repertório variava de soul a funk, passando por disco e R&B. Já os outros são uma banda de Nova York, considerados um dos quatro maiores nomes do thrash metal ianque ao lado do Metallica, do Megadeth e do Slayer. A fusão não poderia ser mais divertida - ainda mais com o antigo vocalista, Joey Belladonna, cantando ao lado do novo vocalista, John Bush. Dá para fazer porrada com suíngue? Claro que dá.





FOO FIGHTERS cantando PRINCE

A música: "Darling Nikki"

O original: No disco "Purple Rain" (1984)

A regravação: No single "Have It All", como lado B (2003)

O resultado: Originalmente, o forte conteúdo sexual de "Darling Nikki" causou tanto reboliço na época de seu lançamento que fez com que Tipper Gore fundasse o grupo Parents Music Resource Center, mais tarde responsável pela inclusão do selo "Parental Advisory" nas capas dos discos. Assim sendo, era de se esperar que a canção fosse ideal para uma banda de rock. Embora não tenha sido lançada oficialmente como um single, a versão dos Foo Fighters alcançou relativo sucesso na rádio ianque American Modern Rock, ficando em 15º lugar nas paradas de sucesso do ano.





SEPULTURA cantando DEVO

A música: "Mongoloid"

O original: No disco "Q: Are We Not Men? A: We Are Devo!" (1978)

A regravação: No disco "Revolusongs" (2003)

O resultado: Entre covers de bandas tão diversas como Messiah, Exodus, Massive Attack, Jane's Addiction e Public Enemy, não é a versão do Sepultura para "Bullet The Blue Sky", do U2, que mais chama atenção - mas sim a sua bizarra (e divertida) interpretação para o clássico "Mongoloid", do Devo. Se você não sabe o que é o Devo, deveria se envergonhar - mas a gente explica: um grupo de carinhas esquisitos, totalmente nerds, aficionados por rock e tecnologia, fazendo um som pop eletrônico básico...mas tão esquisito quanto seus figurinos. Agora imagine isso com a voz gutural do Derrick Green, cantando (ou seria urrando?): "Mongoloid he was a mongoloid / Happier than you and me / Mongoloid he was a mongoloid / And it determined what he could see". Fascinante.





TORI AMOS cantando SLAYER

A música: "Raining Blood"

O original: No disco "Reign in Blood" (1986)

A regravação: No disco "Strange Little Girls" (2001)

O resultado: O clássico absoluto da banda de thrash metal absoluta caiu nas mãos de uma ruivinha de expressão tranqüila e que canta quase sussurrado. Em seu próprio disco de covers, Tori Amos reinterpreta canções de Velvet Underground, Depeche Mode, Neil Young, Tom Waits... e Slayer. Com a monstruosa "Raining Blood", a maluquinha dá tons delicados à canção, imprimindo altas doses de emoção mesmo ao quase declamar a letra que fala sobre um céu aberto se derramando em sangue, horrores do purgatório e afins. Irreconhecível.

PapaNJam

Mensagens : 2854
Data de inscrição : 03/04/2008
Localização : Lisboa

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum